Captação de SPDA em telhados muito inclinados

TRANSCRIÇÃO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS

No PodCast de hoje, falaremos sobre como fazer a nossa captação em telhados muito inclinados, eu sou Nikolas Lemos e seja muito bem vindo.

É muito comum durante a execução de projetos encontrarmos situações com as quais precisamos ir além do óbvio para encontrar a solução adequada. É esse o caso da captação em telhados muito inclinados. 

Telhados de chalés, tendas metálicas, telhados estilo americano ou europeu são os campeões quando o assunto é complicar a vida dos projetistas de SPDA. 

Normalmente, para esses casos, o ideal é a utilização de captores bastante flexíveis e articuláveis, como os cabos de cobre nu e alumínio e também as barras chatas de alumínio, sendo elas as melhores opções em custo x benefício. 

O problema surgirá quando for preciso criar um volume de proteção, para proteger por exemplo alguma antena ou equipamento exposto nesse telhado. A dificuldade de fixação dos elementos captores e também a necessidade de fazê-los ficar perpendiculares ao plano do céu, visando aproveitar melhor seu ângulo de proteção, limitam bastante a seleção dos materiais.

Felizmente, existem no mercado captores articuláveis, como o minicaptor TEL-2062 e os Termocaptores TEL-961, TEL-962 e TEL-963. Devido a sua versatilidade é possível instalá-los mesmo em locais onde a inclinação do telhado ultrapasse os 50º. 

Como foram desenvolvidos especialmente para esse tipo de aplicação, eles podem ser ajustados para que tenhamos um maior aproveitamento do seu ângulo de proteção, podendo inclusive,  reduzir o número de captores necessários.

Apenas devemos ter cuidado com relação ao tipo de telha existente nesses telhados. A maioria delas não permitem ser perfuradas e a colagem de fixadores sobre elas exigem elementos específicos para tal aplicação.

Alguns projetistas gostam de indicar a instalação de mastros através de uma perfuração no telhado, como se fosse uma chaminé por exemplo. Essa prática traz dois problemas: o primeiro é que mesmo que exista uma excelente vedação no ponto em que o mastro penetra no telhado, a água da chuva pode infiltrar-se pela conexão do mastro com o captor franklin, fazendo com que ela escorra pelo interior do tubo e atinja o sótão.

O segundo problema seria a condução da corrente direta do raio para o interior da edificação, que pode implicar em uma série de problemas relacionados aos equipamentos eletro-eletrônicos. Portanto, não é uma solução adequada.

Independente da opção escolhida por nós projetistas, devemos ter em mente que dois parâmetros nunca podem ser mudados na captação: o primeiro é que, obviamente, todos os itens utilizados devem estar em acordo com a NBR 5419.

O segundo é que a captação deve estar sempre exposta ao ambiente pois, durante uma descarga atmosférica, a energia do raio irá remover todo o material que o impeça de ter o acoplamento galvânico com os elementos, isso inclui telhas, isolamentos, tijolos, concreto, etc.

Uma captação bem feita é o primeiro passo para que tenhamos um bom SPDA. Fique ligado em nosso canal TELCast para ouvir outras dicas como essa!

Deixe uma pergunta

O seu endereço de e-mail não será publicado.