O que é corrente de seguimento e como ela pode afetar a instalação elétrica?

TRANSCRIÇÃO PARA DEFICIENTES AUDITIVOS

No podcast de hoje, explicaremos o que é corrente de seguimento e como ela pode afetar a sua instalação elétrica, eu sou Nikolas Lemos e seja muito bem-vindo.

Para falar sobre correntes de seguimento, precisamos primeiramente, entender os motivos para o qual são escolhidos centelhadores na proteção contra surtos, uma vez que, eles são a única fonte geradora desse tipo de corrente. A partir daí, conseguiremos compreender melhor seus efeitos na instalação elétrica.

A maneira que os DPSs são construídos define o quão duráveis eles serão. Aqueles construídos a partir de uma pasta de óxido de zinco, os chamados varistores, possuem uma vida útil bastante limitada, sendo capazes de desviar no máximo até 20 surtos elétricos de intensidade equivalente à sua corrente nominal. Os modelos confeccionados com eletrodos separados por isolantes, mais conhecidos por centelhadores, possuem uma vida útil bem maior, com alguns modelos chegando a mais de mil anos de disponibilidade.

Isso se deve ao fato de que, diferente dos grãos de zinco que vão se acomodando a medida em que vão conduzindo os surtos, até estarem na forma de um circuito permanentemente fechado, os eletrodos de um centelhador, dificilmente, sofrem degradação ao conduzirem as correntes dos surtos elétricos. Essa característica faz com que os centelhadores sejam a escolha ideal para setores críticos ou vitais, como indústrias, mineração, hospitais, usinas e etc, onde o fornecimento de energia aos equipamentos não pode ser afetado pelas sobretensões transitórias. Entretanto, a opção por centelhadores comuns que não possuem tecnologia de ponta traz a grande desvantagem de serem susceptíveis a correntes de seguimento na instalação elétrica. Essas correntes recebem esse nome por surgirem logo após a condução do surto nestes DPSs e, se não forem extintas rapidamente, podem degradá-lo.

Quando ocorre um surto elétrico, simultaneamente ao aumento na tensão da rede, também é aumentada a diferença de potencial entre os eletrodos do DPS. Esses valores continuando subindo até atingir os limites da isolação elétrica do dispositivo. A partir desse momento começa a ser conduzida por ali a maior parte da energia do circuito, impedindo que a mesma chegue até os equipamentos e cause danos. Quando a tensão volta aos valores normais, a rigidez dielétrica entre os eletrodos deve ser suficiente para interromper a condução de corrente. É justamente neste ponto que os dispositivos de baixa tecnologia deixam a desejar. Nestes DPSs, mesmo a tensão tendo voltado ao seu nível normal, por vários microssegundos será conduzida a corrente comum do circuito para o aterramento. Ela se aproveitará do caminho de baixa resistência já criado pelo surto elétrico, como se pegasse carona na corrente do surto.

A corrente de seguimento não causa danos diretos na instalação elétrica ou equipamentos, mas pode ser suficiente para desarmar fusíveis e disjuntores, já que constitui uma corrente de fuga para a terra. Se a escolha por centelhadores é justamente para evitar que a linha e equipamentos sejam afetados pelos surtos elétricos, o desarme dos fusíveis ou disjuntores vão contra essa diretiva. Como podemos evitar esse inconveniente? Existem duas maneiras: a primeira seria escolher DPS com varistores, mas vimos que do ponto de vista de durabilidade e manutenção não é o ideal, especialmente em situações críticas ou vitais. A segunda maneira é optar por centelhadores de última geração, dotados de tecnologias capazes de evitar que as correntes de seguimento ocorram. Do ponto de vista custo x benefício, eles são a melhor opção.

A empresa alemã DEHN, referência mundial em protetores contra surtos, possui em seu portfólio os centelhadores DEHNventil, com a tecnologia RADAXFLOW, para locais com níveis de proteção 1 e 2 e os centelhadores DEHNshield, com a tecnologia WBF, para locais com níveis de proteção 3 e 4. A Termotécnica Para-raios é distribuidora autorizada dos produtos DEHN no Brasil, portanto, as especificações completas destes modelos você pode obter consultando o catálogo da DEHN, disponível em nosso site.

Continue ligado em nosso canal TELCast para ouvir outras dicas como essa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.