Conteúdo Técnico

A fim de se evitar falsas expectativas sobre os SPDA-Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas , gostaríamos de fazer os seguintes esclarecimentos :

1. A descarga elétrica atmosférica (raio) é um fenômeno da natureza absolutamente imprevisível e aleatório, tanto em relação às suas características elétricas (intensidade de corrente, tempo de duração, etc.), como em relação aos efeitos destruidores decorrentes desua incidência sobre as edificações.

2. Nada em termos práticos pode ser feito para se impedir a “queda” de uma descarga em determinada região. Não existe “atração” a longas distâncias, sendo os sistemas prioritariamente receptores . Assim sendo , as soluções internacionalmente aplicadas buscam tão somente minimizar os efeitos destruidores a partir da colocação de pontos preferenciais de captação e condução segura da descarga para a terra.

3. A implantação e manutenção de SPDA é normalizada internacionalmente pela IEC ( International Eletrotecnical Comission ) e em cada país por entidades próprias como a ABNT (Brasil), NFPA (Estados Unidos) e BSI (Inglaterra).

4. Somente os projetos elaborados com base em disposições destas normas podem assegurar uma instalação dita eficiente e confiável. Entretanto, esta eficiência nunca atingirá os 100 % , estando, mesmo estas instalações, sujeitas a falhas de proteção. As mais comuns são a destruição de pequenos trechos do revestimento das fachadas ou de quinas da edificação.

5. Não é função do SPDA externo proteger equipamentos eletro-eletrônicos (comando de elevadores, interfones , portões eletrônicos , centrais telefônicas , subestações , etc. ) , pois mesmo uma descarga captada e conduzida a terra com segurança , produz forte interferência eletromagnética , capaz de danificar estes equipamentos . Para sua proteção , deverá ser contratado um projeto de SPDA interno , específico para instalação de supressores de surto individuais (DPS).

6. É de fundamental importância que após a instalação haja uma manutenção periódica anual a fim de se garantir a confiabilidade do sistema. São também recomendadas vistorias preventivas após reformas que possam alterar o sistema e também toda vez que a edificação for atingida por descarga direta.