É permitido realizar emendas nas descidas do SPDA?

Uma dúvida comum entre os projetistas de proteção contra raios é sobre a realização de emendas nas descidas do sistema. Como essa parte é destinada a conduzir as descargas atmosféricas desde a captação até a malha de aterramento, é de extrema importância que seja formado um caminho contínuo para o raio. Seguindo esta lógica, as conexões entre cabos ou barras, são permitidas? Neste episódio, esclarecemos essa questão, levando em conta os principais materiais utilizados nas descidas e as recomendações da NBR5419/2015.

O que são surtos elétricos?

Todo equipamento eletroeletrônico possui vida útil, que pode ser de apenas alguns anos a até muitas décadas. Entretanto, por serem alimentados por linhas de energia e sinal, esse período estipulado pode ter fim de forma prematura devido aos danos provocados pelos chamados surtos elétricos. Neste episódio, explicamos as causas, os tipos de dano e apresentamos as soluções necessárias para evitar a degradação e/ou perda total de equipamentos por perturbações que ocorrem na rede elétrica!

A importância do SPDA em granjas

Ao realizar um projeto de SPDA e MPS para granjas é necessário atentar-se às exigências de cada edificação que compõe a área, que muitas vezes inclui criadouros, armazéns, clínicas veterinárias e abatedouros. Neste episódio, explicamos o que deve ser avaliado em cada um desses ambientes para auxiliar no desenvolvimento de projetos que garantam a proteção da estrutura, equipamentos e, consequentemente, dos animais nestes locais.

Dúvidas frequentes sobre SPDA e MPS – Parte 2

É muito comum dúvidas surgirem durante o planejamento e execução do projeto de SPDA. Por isso, selecionamos algumas das principais perguntas dos nossos ouvintes para responder, com base na NBR5419/2015. Neste episódio, falamos um pouco mais sobre o uso das hastes no aterramento, eletrodutos nas descidas e durabilidade do SPDA Estrutural!

Diferenças entre o SPDA Estrutural e Natural

Existem diversas maneiras de se projetar o SPDA de uma edificação, porém, de forma consensual, a melhor delas é durante a construção. Assim, é possível economizar nos gastos com materiais e proporcionar um maior número de caminhos para a corrente do raio, reduzindo ainda mais os níveis de tensão de toque e passo. Neste episódio, analisamos as diferenças que existem entre as duas metodologias mais utilizadas nestes casos: os sistemas natural e estrutural!